Planejamento Financeiro



Planejamento financeiro é uma ferramenta de administração financeira que consiste no processo de organização financeira realizado através do reconhecimento da situação financeira atual, junto com a determinação dos objetivos onde se quer chegar, e o estudo de possíveis caminhos a serem utilizados para alcançar esses objetivos.

O planejamento financeiro é essencial para para seu sucesso pessoal e consequentemente para uma vida com tranquilidade e um menor número de problemas e preocupações. Não importa o que você tem ou quanto acha que tem. Um grande erro é procurar razões para justificar o início do seu planejamento financeiro. Dedicar um pouco de tempo nessa tarefa vai trazer inúmeras recompensas a longo prazo, acredite. Pois bem vamos iniciar nosso planejamento financeiro!



Onde estou gastando meu dinheiro?

Inicialmente é ideal que utilizemos uma planilha a fim de verificar quantitativamente e qualitativamente para onde estão sendo alocados nossos recursos.
Para tanto você pode utilizar a planilha abaixo:




Como fazer meu dinheiro sobrar?

Para que sobre dinheiro ao final do mês é necessário uma maior parcimônia em seus gastos. Utilize essa conhecida frase para selecionar seus gastos:

"Será que preciso disso, ou será que quero isso?"

Nessa hora você deve selecionar quais são realmente os gastos necessários e eliminar aqueles que sejam arbitrários ou irrelevantes. Por exemplo, não é necessário comprar roupas todos os meses. Lembre-se de não levar muito dinheiro na carteira, pois seguramente fará você gastar mais. 




Pense nos benefícios de investir

A educação financeira e o hábito de investir podem proporcionar a compra de uma boa casa no futuro, a educação de seus filhos, manter o seu estilo de vida após a aposentadoria ou mesmo realizar uma viagem. Além disso, você ficará livre do estresse financeiro, não se esqueça:

“Investir significa adiar um consumo presente para, no futuro ter mais dinheiro para consumir.”                                                    

Clique aqui para calcular quando você atingirá o montante de R$ 1.000.000,00



Certamente investir traz diversos benefícios, entretanto não podemos nos esquecer de o dinheiro não é o um fim a ser atingido. Devemos buscar atingir a independência colaborando com a sociedade em que vivemos. Não basta apenas ajuntar um papel da rua e dizer: "estou fazendo a minha parte". Será que não é possível fazer mais? Veja alguns exemplos.



Antes de investir pague as suas dívidas

Não faz sentido investir ganhando uma rentabilidade de 10% ao ano se você possuir dividas no cheque especial que estão custando 100% ao ano. Desta forma avalie suas dívidas de forma que permaneçam somente aquelas cujo juros cobrado seja inferior ao da rentabilidade obtida nos seus investimentos.


Comprar a casa própria financiada ou pagar aluguel?

Essa questão tem que ser bem analisada. Mais uma vez vai depender da taxa de juros cobrada no financiamento. Veja aqui uma planilha para analisar qual o sistema de amortização mais vantajoso para você.




Aonde aplicar seu dinheiro?

A aplicação vai depender da finalidade que você pretende dar ao montante guardado. Um dinheiro para emergências, por exemplo, não pode estar investido em ações, da mesma forma guardar dinheiro por longo prazo na poupança pode lhe ocasionar um alto custo de oportunidade em detrimento do investimento em ações  (custo de oportunidade é o custo/beneficio que teria se houvesse aplicado o dinheiro em outro investimento).

Veja aqui uma matéria do UOL sobre esse assunto.




Tamanho da reserva para emergências


O tamanho da reserva vai depender de diversos fatores, entretanto não é recomendável que a reserva para emergências seja inferior a três vezes o valor dos seus gastos mensais.
Veja outras dicas:


ERROS
ACERTOS
Comprar um imóvel como garantia para emergências
Escolher aplicações líquidas como poupança e CDBs
Fazer um plano de previdência ou outro investimento antes de formar a reserva
Investir um valor mensal até acumular o montante estipulado
Usar o dinheiro da reserva para uma viagem de férias ou uma festa. Não é este o objetivo
Diferenciar “vontades” de “necessidades” ao usar a reserva




Selecione seus objetivos de curto, médio e longo prazo

Curto prazo se refere a objetivos que sejam alcançáveis no prazo de até um ano.

Objetivos de médio prazo já são aqueles que você leva de um até cinco anos para alcançar. São objetivos que temos em mente, mas que não temos disponibilidade no momento. Objetivos de médio prazo clássicos: ter um filho, começar um mestrado, aprender um novo idioma, mudar de casa, viajar para o exterior etc.

Os objetivos de longo prazo possuem planejamento num horizonte de tempo superior a cinco anos. São basicamente os objetivos de vida. É para pensar não só daqui a 10 anos, mas daqui a 30, 40 anos. Lá na frente. Quando você morrer, o que gostaria de ter realizado? “Ah, eu gostaria de ter estabilidade financeira.” “Eu gostaria de dizer que fui o melhor pai possível.” “Quero ser lembrado(a) como um(a) amigo(a) presente.” Essas coisas, mais etéreas. Os objetivos de longo prazo revelam nossas intenções e missão de vida. O legal de pensar a respeito deles é que eles dizem muito sobre o nosso caráter.



Qual a quantia ideal a ser guardada?


O importante basicamente não é a quantia e sim o constância nos investimentos. Mais uma vez observe esta planilha e faça as suas simulações. Muitas vezes o investidor "fogo de palha" acaba perdendo para aquele que investe constantemente pequenas quantias.



Fontes:

http://vidaorganizada.com

http://economia.uol.com.br

http://economia.ig.com.br

Comentários